Novembro - 2017
STQQSSD
  12345
6789101112
13141516171819
20212223242526
27282930   

Email Newsletter icon, E-mail Newsletter icon, Email List icon, E-mail List icon Sign up for WTF Email Newsletter


» Matérias «


Intervalo de Recuperação entre as séries no Treinamento de Força

O treinamento de força é usado para vários objetivos, como estética, saúde e performance. É comum que as pessoas se importem apenas com a carga (peso), sendo o intervalo de recuperação entre as séries geralmente "esquecido".
Intervalos curtos de recuperação (em média 1 minuto entre as séries) difererenciam-se de intervalos longos principalmente com relação a resposta hormonal e metabólica. Intervalos curtos provocam um quadro de acidose muscular, ou seja, tendem a aumentar mais as concentrações de lactato quando comparados com intervalos longos. Esse fato é fundamental na preparação física de diversos esportes, como em esportes de combate (jiu-Jitsu, MMA, Taekwondo...), esportes de endurance (corrida, cilcismo, triathlon...), entre vários outros esportes. Acontece que nesses esportes citados, é comum a alta produção de lactato, especialmente em ambiente competitivo (a produção de lactato é maximizada em situações de estresse, comuns em competições). Um quadro de acidose muscular (concentração de lactato e de outros metabólitos) podem provocar adaptações negativas ao atleta, como dificuldade de concentração, desconfortos, queda na performance, entre outras adaptações. Simular situações de acidose muscular, como em sessões intensas de treinamento de força com intervalos curtos de recuperação, podem fazer com que o atleta de torne mais "tolerante" as adaptações negativas da acidose muscular durante uma competição. Ou seja, atletas dessas e de outras modalidades esportivas que produzam uma grande quantidade de lactato podem se beneficiar desse modelo de treinamento.
Outra característica dos intervalos curtos de recuperação é a alta produção hormonal, especialmente de GH e cortisol. No ambito esportivo, o cortisol é muito importante, sendo considerado o hormônio do estresse e também catabólico. O GH tem características anabólicas, estando envolvido diretamente no crescimento muscular. Em breve irei postar artigos sobre esses hormônios, explicando melhor a função de cada um deles.
Porém, intervalos curtos de recuperação são menos eficientes em aumentar a força muscular, especialmente a força máxima, ou seja, se o objetivo do treinamento for aumentar a força e potência muscular (características neuromusculares), deve-se priorizar os intervalos mais longos de recuperação (em média 3 minutos entre as séries). Lógicamente que dentro da periodização dos atletas de força devem existir treinos mais "metabólicos", ou seja, menos carga, mais repetição e curtos intervalos de recuperação, porém a base da periodização desses atletas são realmente as baixas repetições, altas cargas de trabalho e intervalos mais longos de recuperação.

Gustavo Barquilha, fisiologista do Bang Top Team e Bang Golden Girls, é educador físico com mestrado em Ciências do Movimento Humano, Mestre Doutorando em Ciências do Esporte, Pós-Graduado em Fisiologia do Exercício, Instrutor Certificado em Treinamento Funcional, Instrutor Certificado em Treinamento Funcional - Core 360º, Instrutor Certificado em Ginástica Natural, Professor da Universidade Cruzeiro do Sul, no curso de educação física, Coordenador técnico do departamento de Halterofilismo e Alto Rendimento do Clube dos paraplégicos de SP, um dos princípais e mais antigos clubes esportivos voltados para esportes adaptados no Brasil. Esse clube é vínculado ao Comitê Paraolímpico Brasileiro, tendo como destaque no clube o Halterofilista Alexsander Whitaker, com vários títulos brasileiros, Parapan-Americanos, entre muitos outros. Faz também o acompanhamento físico/fisiológico de diversos lutadores de Jiu-Jitsu e MMA.



 
BANG .:. Desde 1971 no Brasil .:. Tradição & Qualidade