Maio - 2018
STQQSSD
 123456
78910111213
14151617181920
21222324252627
28293031   



» Coluna «


Emenda das Regras de Competição da WTF e suas Interpretações

Aprovado na 16ª Assembléia Geral em Garmisch, Alemanha
em setembro de 2003 e com agregados e correção em
27 de outubro de 2003 no escritório central da WTF

 
UNIFORME DOS COMPETIDORES

b)         Os competidores devem vestir um protetor de tórax, protetor de cabeça, protetor genital, protetor de antebraço, protetor de canela (tíbia) e protetor bucal . Os protetores genitais, de antebraço e caneleira devem ser vestidos por dentro do uniforme e o competidor deve usar os protetores pessoais aprovados pela WTF. 
 
1.3 - Protetor bucal
            Cor do protetor bucal é limitado ao branco ou transparente. Porém, a obrigação de uso do protetor bucal pode eximir-se, com diagnóstico dos médicos, se determinarem que o uso do protetor bucal pode trazer algum dano ao atleta.

Artigo 6° – CLASSIFICAÇÃO E MÉTODOS DE COMPETIÇÃO

1.1.    A competição individual será normalmente entre competidores da mesma categoria de peso. Se necessário, juntar duas classes de pesos para criar uma única classificação. Nenhum atleta é permitido participar em mais de uma categoría de peso em um mesmo torneio.

Artigo 10° – PROCEDIMENTO DO COMBATE

4)      COMEÇO E FIM DO COMBATE

            O combate em cada round deve começar com a declaração de SHI-JAK (começo) pelo árbitro e deve terminar com a declaração de KO-MAN (parar). Se o árbitro não fizer a declaração de "Koman", o combate termina quando o tempo oficial foi finalizado.

Artigo 12° – PONTOS VÁLIDOS

Diretriz para a arbitragem 

1)      Critério para a declaração de “Ke-sok”

            Quando um competidor sofrer knock down, o árbitro deve primeiro checar todas as condições do competidor e depois abrir contagem. Depois de contagem, o árbitro dará instruções ao anotador para agregar mais um ponto adicional (+1). 

Artigo 14° – ATOS PROIBIDOS

1.      Atos proibidos: a falta KIONGO.
a.      Evitar o combate.
b.      Cruzar a linha de limite.
c.      Cair.
d.      Evitar o combate virando as costas para o oponente.
e.      Agarrar, abraçar e empurrar o adversário.
f.       Fingir lesão.
g.      Cabeçada ou atacar com o joelho.
h.      Atacar abaixo da bacia.
i.       Bater o rosto do adversário com a mão.
j.       Atos Indesejaveis.

ATOS PROIBIDOS: Falta KAM TCHOM

a.      Lançar o adversário em direção ao solo segurando o ataque de pé do oponente no ar com o braço ou empurrando o adversário com a mão.
b.      Atacar o adversário depois da declaração de KALHO.
c.      Atacar intencionalmente o adversário no rosto usando a mão.
d.      Atacar o adversário caído.
e.      Atos Indesejáveis.


2.      Quando o atleta recebe menos de quatro (-4) pontos, o árbitro pode declará-lo(a) perdedor devido às faltas.

Explicação no. 3: Atos proibidos: KIONGO (Resumo)

a. Cruzar a linha de limite.

            Quando um ou dois pés do competidor se moverem para fora da linha de limite, o árbitro deve dar a falta KIONGO imediatamente. Se atravessar a línha limite sem intenção durante a troca de técnicas, Joo-eui ( Ju - i) pode se aplicado na primeira vez, logo KIONGO se acontecer de novo.

            Não há KIONGO se atravessar a linha de limite e este acontecer por um chute do oponente, empurrado ou qualquer ato proibido.

Cair

            No caso do competidor cair devido a um ataque proibido do oponente, a falta KIONGO não deve ser marcada contra o competidor caído, mas sim dada ao oponente. Contudo, quando o competidor cair enquanto estava fazendo uma técnica ou atacando, a falta KIONGO pode ser aplicada. Em caso onde os dois atletas caírem, os dois atletas recebem falta. Se um atleta cair fazendo um ato normal, pode fazer um Joo-eui (pré-falta) ao caído. Porém KIONGO é declarado se acontecer de novo. Também é KIONGO quem resvala involuntariamente ou tropeçar.

b. Evitar o combate.

            No caso do participante evitar o ataque na luta a penalidade deve ser para aquele que mais passos defensivos tiver. Porém, o árbitro deve distinguir a diferença entre evitar a anulação intencional de uma tática de defesa e passos defensivos, então uma penalidade não se dará quando tem ações constituídas em uma defesa tática.

c.   Agarrar, abraçar ou empurrar ao adversário

            ...Os atos de empurrar incluem, empurrar com a intenção de mudar de posição ao adversário com o propósito de ganhar uma vantagem em ataque, empurrar o adversário para impedir uma execução normal das técnicas que incluem empurrar com a palma, pulso, ombros, tronco ou cabeça, etc.

d.      Atacar abaixo da bacia (inclui atacar a ingle e pisar o apoiar-se em qualquer parte da perna ou pé).
e.      Atos Indesejáveis

São todos os atos que não estão em atos proibidos. O árbitro tem que determinar e julgar quando é KIONGO e quando é KAMTCHOM.

Isso inclui: 

Quando o técnico deixa a posição designada do técnico durante a luta.
Quando o técnico fica em volta da área de competição com o propósito de interferir no progresso da luta ou fazendo protestos contra a decisão do árbitro.
Quando o técnico ou atleta ameaçar os árbitros oficiais ou infringir a autoridade dos árbitros oficiais.
Quando o técnico ou atleta ilegalmente interrompe no progresso da luta
 
ATOS PROIBIDOS: Falta KAMTCHOM

A. Atacando o adversário, depois da declaração de KALHO

      Esse ato é extremamente perigoso devido a alta probabilidade de machucar o adversário. O perigo provém de:

1        O adversário pode estar desprotegido nesse momento
 
 
2        O impacto de algum golpe que atingir um adversário depois do Kalho será maior. Esse tipo de ato agressivo a um adversário não está de acordo com o espírito do TAEKWONDO e não é considerado apropriado numa competição. A ação, tem que punir o adversário que bate intencionalmente depois do Kalho, independentemente da lesão. Tem que punir com KAMTCHOM quando o atacante fingir ou bater no outro atleta intencionalmente depois do Kalho.

c.   Atos Indesejaveis 

Quando os atos acima descritos são originados durante o tempo de descanso, o árbitro declarará KAMTCHOM imediatamente e isso será registrado para o seguinte round.

Artigo 15° – DECISÃO DE SUPERIORIDADE 

1-             No caso de placar com resultado empatado devido à dedução de pontos, o vencedor deve ser o competidor que ganhou mais pontos nos três rounds.

2-             No caso de um resultado empatado diferente ao caso 1 acima (quando dois competidores receberam o mesmo número de pontos e/ou deduções de pontos) o vencedor deve ser declarado por todos os árbitros oficiais, por a decisão em superioridade demostrada durante os três rounds. Em caso de que a decisão dos juízes for 2:2, o árbitro tem que declarar um ganhador.

Explicação n°.1:

Se a decisão dos juízes e árbitro central for 2:2, o árbitro central tem que declarar o ganhador; porém o árbitro não necesita fazer decisão pessoal se os juízes já votarem 3:1 ou 4:0.

Quando termina a luta, o árbitro dará instruções aos juízes para decidirem um ganhador e marcarão em seu cartão de superioridade. Todos os juízes entregarão o cartão de superioridade ao árbitro no centro do ringue e confirmarão o ganhador. Logo o árbitro declarará um vencedor.

Explicação n°. 2

A decisão de superioridade será basada em iniciativa demostrada durante a luta. Domínio técnico sobre o adversário através do gerenciamento mais agressivo do combate. O maior número de técnicas executadas. O uso de técnicas mais avançadas tanto em dificuldade quanto complexidade, mostrar melhor comportamento na competição

Artigo 16° – DECISÕES

Vencer devido a declaração punitiva do árbitro 

            Esse é o resultado a ser declarado pelo árbitro depois da acumulação dos quatro pontos negativos (-4) ou pela decisão do árbitro de acordo com o item 2 (atos indesejáveis), inciso “b” do artigo 14 das regras de competição.

Artigo 19° – PROCEDIMENTO PARA SUSPENDER O COMBATE

(adição regulamento atual)

            Em caso de situação que garanta suspender a competição porém há o procedimento prescrito anteriormente, o árbitro declarará Shigan (tempo) para pausar a competição e continuar a competição declarando Ke sok (continuar).

Artigo 20° – ÁRBITRO E JUIZ

2.      Obrigações 

1)      Árbitro 

            No caso de luta amarrada ou sem pontos, isto é, de empate, a decisão de superioridade será decisão de todos os árbitros oficiais depois de terminar os três rounds de acordo com o art. 15.2

Explicação

(adição regulamento atual)

            Em caso de que cada juiz outorgue um resultado diferente (Ex: Um juiz dá um ponto, outro juiz dá dois pontos e outro juiz não dá ponto por um ataque legal ao rosto) e esse ponto não for reconhecido como um ponto válido. Qualquer árbitro oficial pode indicar o erro e questionar a confirmação entre os árbitros oficiais. Logo, o árbitro pode declarar Shigan, parar a luta e reunir os juízes para perguntar e informar.
            Logo após a discussão, o árbitro deverá publicar a resolução.

Novas terminologias para arbitragem:
- Woo See Kirok
- Bee Gim
- Il Jong

Fernando Akilian
BANG - ARGENTINA
Arbitro Internacional WTF



 
BANG .:. Desde 1971 no Brasil .:. Tradição & Qualidade